Feira do Livro de Lisboa 2012 reflete a crise

A Feira do Livro de Lisboa 2012, a decorrer de de 24 de abril a 13 de maio como de costume no Parque Eduardo VII, vai refletir a crise do mercado do livro, que caiu 3% em valor em 2011 (dados: GfK) e promete voltar a cair em 2012.

Basta olhar para os números:

  • 2011: 106 exibidores em 191 stands, e ainda Porto Editora, Leya, Babel e tenda pequenos editores com espaços diferenciados.
  • 2012: 95 exibidores em 172 stands, mais Babel com 8 stands, mantendo-se Porto Editora, Leya e tenda pequenos editores com espaços diferenciados iguais a 2011.

Ou seja, este ano há uma queda de 10% no número de exibidores e de stands independentes. Contando com os espaços diferenciados, este ano a Feira terá menos 7% de espaço de exposição.

Nós também contribuimos para este desaire, já que este ano, além de termos deixado de ser associados da APEL, não teremos stand próprio e apenas estaremos representados pela distribuidora Contramargem. É a crise.

Feira do Livro Infantil de Bolonha arranca hoje

home

Arranca hoje, em Itália, a Feira do Livro Infantil de Bolonha . E nós fomos lá dar um saltinho (é a nossa primeira vez) e iremos contando aqui o que se vai passando.

Entretanto, fiquem com o artigo da Revista Os Meus Livros sobre este importante evento.

«Quase a completar 50 anos, a Feira do Livro Infantil de Bolonha começa na segunda-feira em Itália, com centenas de editoras livreiras a comprarem e a venderem direitos, mas com os olhos postos nos novos formatos digitais.

A mais importante feira de negócios dos livros para crianças e jovens foi antecedida no Domingo por um encontro, que acontece pela primeira vez, dedicado aos desafios desta área editorial perante novas tecnologias e formatos.

Durante todo o dia houve conferências, debates e apresentações feitas por editores, autores e ilustradores em torno do livro digital, da Internet, das novas plataformas, recursos e técnicas em torno do livro infantil.

O ilustrador André Letria é o único português convidado para participar neste encontro. “Isto ainda é um mundo novo e há muita coisa que está agora a começar, sobretudo no livro ilustrado”, disse à agência Lusa.
Para o autor, o desafio passa sobretudo pela capacidade de transposição de uma história ilustrada em papel para um suporte digital.

“Não podemos perder de vista que o objetivo é manter o prazer de ler uma história”, defendeu, referindo que editoras, autores e ilustradores têm muito por onde inovar com as novas tecnologias.

Este ano na feira de Bolonha, tanto a Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas como a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros não estarão presentes, por contenção de custos.

Ainda assim, sem a presença mais institucional, em Bolonha estarão alguns ilustradores e a editora Planeta Tangerina, que repartirá um espaço com a italiana Topipittori e a francesa Nodari.

Na área da ilustração, Bernardo Carvalho e Teresa Cortez foram selecionados – de entre 2.836 candidatos – para a exposição anual que a feira organiza com artistas de todo o mundo.

Bernardo Carvalho, Prémio Nacional de Ilustração 2009, terá expostos originais de “O livro dos Quintais”, com texto de Isabel Minhós Martins (Planeta Tangerina) e Teresa Cortez apresentará ilustrações inéditas (não publicadas) intituladas “Maré Cheia”.

As ilustradoras Marta Madureira e Madalena Matoso também estarão em Bolonha, por terem recebido no ano passado menções honrosas no Prémio Nacional de Ilustração.

Durante os cinco dias da feira, Bolonha enche-se de atividades em torno do livro para a infância.

A ilustradora portuguesa Ana Ventura terá uma dupla presença na cidade italiana, com uma exposição repartida com a ilustradora sueca Camilla Engman e a apresentação do livro e exposição de originais “Nove storie sull’amore”, com texto de Giovanna Zoboli, a partir de um convite da editora Topipittori.

Todos os anos há um país convidado e este ano é a Lituânia.
A feira premia ainda os melhors livros para a infância editados ao longo dos últimos doze meses em diferentes categorias.

Destaque para uma nova versão das fábulas de Esopo, por Jean-Philippe Mogenet (texto) e Jean-François Martin (ilustração), que recebeu o prémio de melhor álbum de ficção.

“Mil-folhas”, um livro sobre a história dos doces, da jornalista brasileira Lucrecia Zappi, com ilustrações Maria Carolina Sampaio, com selo da editora Cosac Naify, foi eleito o melhor na área de “Novos Horizontes”.»

O Diário de um Banana na corrida aos Nickelodeon Kid’s Choice Awards 2011

 

Desde 1988 que o famoso canal de televisão infantil Nickelodeon promove uma cerimónia, os Nickelodeon Kid’s Choice Awards, evento no qual, por meio de votação dos telespectadores do canal, são premiados os melhores do ano na área de entretenimento infanto-juvenil, livros incluídos.

 

E quem foi o grande vencedor em 2010 na categoria de livros? O Diário de um Banana, claro está!

Com mais de 35 milhões de livros vendidos em todo o mundo, as hilariantes desventuras de Greg bateram uma concorrência de peso: a saga de Crepúsculo, a série Diários do Vampiro e “Where de Sidewalk Ends” (primeira colecção de poemas de Shel Silverstein).

Nomeada em 2008 e 2009, e grande vencedora de 2010, a série O Diário de um Banana está de novo nomeada este ano e, desta vez, tem como rivais: O Diário de uma Totó, Academia de Vampiros e Bruxas e Feiticeiras.

A cerimónia acontecerá no dia 2 de Abril, precisamente a data em que é lançado em Portugal o n.º 4 da colecção: O Diário de um Banana: Um Dia de Cão.

As votações começam no dia 1 de Março e podem votar aqui.

 

 


(Não é todos os dias que o Greg tem motivos para sorrir!)

Feira do Livro de Londres em risco?

Por causa da erupção vulcânica na Islândia e da nuvem de cinza que provocou, todos os voos para Inglaterra estão cancelados hoje, possivelmente amanhã, e depois logo se vê.

Nós temos a nossa viagem para Londres marcada para Domingo, a tempo do início da Feira do Livro de Londres no dia seguinte.

Com certeza que até lá a nuvem de cinza se vai dissipar, por isso não temos de nos preocupar muito. Não é pois caso para dizer “I hate Iceland” como este energúmeno disse ao vivo na TV britânica: